Já falamos um pouco sobre o básico de vinhos aqui, mas o que todo mundo quer saber mesmo é sobre a harmonização correta entre vinhos e alimentos. O básico do básico todo mundo já sabe: vinho branco ou rosé para carnes brancas, vinho tinto para carne vermelha, massa com molho branco pede vinho branco ou rosé, massa com molho vermelho pede vinho tinto. Mas e quando você está preparando aquele prato especial para receber os amigos em casa, vai ao supermercado comprar um vinho, qual comprar? Para ajudar, guardem a tabela com combinações harmônicas abaixo preparada pela SBAV:

Sabe uma combinação que todo mundo costuma errar? Fondue de Queijo! Como é um prato em geral consumido no inverno, muitas pessoas optam por um vinho tinto. Mas a combinação harmônica correta é com vinho branco. Lógico que o mais correto mesmo é sempre o que agrada ao seu paladar e pronto.

Por vinho branco leve e médio entende-se Chenin Blanc, Riesling, Champanhe, Sauvignon Blanc. Por vinho branco pesado considere Chardonnay, Borgonha Grand Cru, Rhone e Rioja. Por vinho tinto leve e médio entende-se Valpolicella, Borgonha, Chianti Clássico. Por vinho tinto pesado, Marlot, Cabernet Sauvignon, Rhône, Shiraz, Barolo.

converse com a gente
 0      14        0
DEIXE SEU comentário
5 Comentários
  1. Mari Noivinha, disse:

    Excelente Fê!
    Enviando para o noivo agora…

    beijos

  2. Lari, disse:

    é só pra mim que a foto não aparece? ;x

  3. Camille, disse:

    Fernanda, desde o ano passado acesso todos os dias o blog, mas nunca deixei um registro. Você está me ajudando muitooo a organizar meu casamento. Adorei este post, já vou salvar na minha pastinha! Beijos!!!

  4. Evelyn Fligeri, disse:

    Estava ansiosa por mais um post sobre vinhos! Posso te dar um dica? Experimente harmonizar um macarrão com molho de tomate simples e um belo rosé da Provence… Depois me conta…
    Grande beijo
    Evelyn

  5. Jessica, disse:

    Nossa amei o posto! Muito chique e explicativo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

O tema vinho vem despertando cada vez mais o interesse dos brasileiros. O legal é que além dos benefícios para saúde que o vinho traz, o vinho tem um papel também de “bebida sociável”: quem gosta de beber vinho gosta de fazê-lo na companhia de alguém, de chamar os amigos para degustar e brindar. Aqui em São Paulo temos o costume de chamar os amigos para vir em casa (principalmente depois de casar), diferente de muitas regiões onde a socialização acontece mais em barzinhos. É muito comum chamar os amigos para comer uma pizza em casa e abrir um vinho, por exemplo. E eu que adoro receber em casa, resolvi fazer um curso de introdução ao mundo do vinho (quem me acompanha no Instagram já sabe, já está seguindo? @fernandafloret). Vou compartilhar algumas dicas com vocês ao longo deste mês.

Para começar, vocês sabem a diferença entre Sommelier, Enólogo e Enófilo?  A maioria das pessoas se confundem, então vamos às explicações:

Sommelier: é o profissional de vinhos que trabalha em restaurantes, bares e hotéis. Entre suas responsabilidades, elabora a carta de vinhos do restaurante de acordo com o estilo dos pratos, faz a manutenção de vinhos na adega, cuida das compras de reposição e auxilia os clientes na escolha de vinhos da carta, sabendo sugerir o que melhor harmoniza com o prato escolhido, abrir a garrafa e servir a taça de forma correta.

Enólogo: é o profissional responsável pela elaboração do vinho, desde a plantação das uvas, acompanhamento do crescimento, até a elaboração final do vinho e sua guarda antes da venda. Há cursos superiores de formação para profissão de Enólogo.

Enófilo: são os amantes de vinho. Todas as pessoas apreciadoras, estudiosas e conhecedoras do vinho pessoa que gostam do vinho, mas que não tem responsabilidade sobre sua elaboração. Enfim, se você te um amigo que ama vinhos, ele não é sommelier e nem enólogo, é um enófilo!

Mito: Só os vinhos caros são bons.

Resposta: Se você estiver comparando um vinho de R$30,00 versus um de R$300,00, é mais provável mesmo que o mais caro seja melhor afinal o preço também está atrelado à qualidade e melhores técnicas de produção. Mas se você estiver no supermercado comparando um de R$30,00 versus um de R$40,00, não necessariamente o mais caro é melhor, afinal o melhor vinho é o que seu paladar mais gosta.

 

Mito: Os melhores vinhos contêm no rótulo “colheita selecionada”, “seleção especial”, “reserva” ou “garrafeira”.

Resposta: Estes termos nos rótulos das garrafas de vinho não passam de marketing. Os melhores vinhos são sempre escolhas pessoais.

Mito: Quanto mais velho o vinho, melhor.

Resposta: O tempo em que o vinho deve ser consumido depende da forma como ele foi produzido. De modo geral, os vinhos mais leves e mais baratos tendem a durar menos e não são para guardar, e os mais encorpados duram mais.

Mito: Peixe harmoniza com vinho branco e carne com vinho tinto.

Resposta: Esta é uma regra que pode ser seguida como básica para quem está começando a entender vinhos. Em geral peixe tem amônia e vinho tinto tem tanino, o que junto dá um gosto metálico na boca. Porém há possibilidade sim de servir peixe com vinho tinto, dependendo da forma de preparo e guarnições. Uma truta defumada pode ser servida com tinto leve e um salmão pode ser acompanhado de um tinto Pinot Noir, por exemplo.

Mito: O tema vinho é muito complicado.

Resposta: O tema está ao alcance de todos! É como tudo na vida, quanto mais você vai se interessando, experimentando, lendo a respeito, mais vai ganhando experiência e entendendo.

O curso que estou fazendo é da SBAV-SP. Há também cursos na ABS-SP e no Senac. Semana que vem tem mais!

converse com a gente
 0      6        0
DEIXE SEU comentário
22 Comentários
  1. OPA Assessoria, disse:

    Muito legal!! Buscar informação é sempre o melhor caminho!!

  2. Deborah Matos, disse:

    Olá Fernanda, estou sempre por aqui acompanhando seu blog! Gostaria de umas dicas sobre prosecco ou espumante nacional, brut e moscatel. Já andei procurando, mas a maioria das dicas são sobre importados. Abraços e dá uma passadinha no nosso blog.

  3. Alexandra Mezzacasa, disse:

    Olá Fernanda!
    Parabéns pelo post. Sou formanda em enologia e diariamente conheço pessoas que tratam o vinho como algo muito complexo, uma bebida para poucos. O fato é que, muitas vinícolas têm trabalho a imagem do vinho como algo descomplicado e descontraído, porque é isso que ele é. Ainda mais quando falamos de vinhos nacionais que combinam muito com nosso país e estilo de vida de nossa população. São vinhos alegres, tropicais. Infelizmente alguns profissionais da área ainda insistem em manter a imagem desta bebida relacionada a um bicho de sete cabeças, não acreditem nisso!! eheh.
    Você já conhece a Serra Gaúcha e suas vinícolas? Se não, te convido a conhece-la. Irá se apaixonar por nossos vinhos e pela paisagem, que por sinal é muito romântica e é palco para muitos casamentos aqui :)

    Abraço.

    • Fernanda Floret, disse:

      Oi Alexandra, quem sabe você pode colaborar com os posts, se eu tiver alguma dúvida, irei te perguntar, rs! Infelizmente ainda não conheço as vinícolas da Serra Gaúcha, sou louca para ir! Quem sabe alguma delas me convida para uma reportagem! Já fui em vinícolas no Chile, França, Portugal, África do Sul… quero muito ir na Serra Gaúcha também!

  4. Rê Benetti, disse:

    Que bacana Fer… eu e o maridão adoramos tomar vinhos, principalmente na companhia de amigos.

    Adorei as dicas!!
    Bjs

  5. Daiane, disse:

    Olá, Fernanda! Visito seu site diariamente! Vou me casar em outubro e seus posts foram essenciais para o planejamento da cerimônia e escolha de fornecedores. Uma pergunta: serviremos apenas finger foods e mini comidinhas no nosso casório. Qual tipo de vinho é mais adequado para este tipo de prato, já que teremos whiskys e bar de caipirinhas? Obrigada e um beijo!

    • Fernanda Floret, disse:

      Daiane, eu não sou especialista em harmonização e não sei quais pratos você vai servir de mini comidinhas, mas com certeza espumante é uma bebida coringa em casamento, pode ser servida do começo ao fim, eu escolheria um bom espumante!

  6. Ana Carvalho, disse:

    Oi Fernanda! Sofri um bocado procurando dicas de vinhos para meu casório… como foi em lugar aberto e estava frio, não servi espumante, e tive a missão de encontrar um vinho “de fácil paladar” ou seja, que agradasse a todos… minha escolha foi muito feliz, muitos vieram me elogiar o vinho… e o melhor: o preço bem camarada! É mesmo possível encontrar vinho bom e barato no mercado (ainda que no mercado brasileiro!) bjs

  7. Evelyn Fligeri, disse:

    Olá Fernanda;
    Sou sommelier e tenho um blog de vinhos, que defende a ideia de que essa bebida precisa ser popularizada no Brasil!
    Fico feliz que esteja fazendo o curso e ajudando a divulgar o vinho em nosso país.
    Quem sabe não nos encontraremos por aí, em alguma degustação!
    Um grande beijo e mais sucesso!

    Evelyn Fligeri

  8. Ge Martins Bueno, disse:

    Fe Ótimo post e excelentes comentários que ele gerou!
    Também adoro um bom vinho e concordo que o caminho é buscar conhecimento sempre e procurar estudar sobre tudo o que apreciamos.
    Obrigada por compartilhar mais uma vez conosco suas experiências. Bjs.

  9. Andrea Nunes, disse:

    Super bom post.
    Eu adoro vinho. Já fiz um cursinho básico da Expand e algumas visitinhas a vinículas e o que vc falou é certo: a gente vai conhecendo aos pouquinhos e o assunto deixa de ser mistério. Mas o ponto em que eu mais concordo com você é: vinho bom é o que agrada o nosso paladar!
    Parabéns pela inciativa! Bjs

  10. Elisa, disse:

    Adoramos vinho! Já perdi as contas de quantas vinículas visitamos. De pouquinho em pouquinho aprendemos muito.
    Pensei em só servir espumante, mas o noivo foi totalmente contra. Vai ter espumante, vinho tinto e vinho branco (fora caipirinha e chopp). Só espero que nao tenhamos bêbados inconvenientes.
    Como moramos fora, meus pais foram fazer degustacao em Bento Goncalves na serra gaúcha. Foi um lindo passeio (fiquei com pena de mim mesma de nao ter participado). Eles conseguiram precos ótimos na Salton e um Sommelier fez consultoria na questao vinhos e menu.

  11. Liana, disse:

    Post muiiiito útil!
    Adoreii

  12. Gaby, disse:

    Adorei, esse post.

    Aguardando mais, bjs

  13. Amanda Boer, disse:

    Mais um post certo na hora certa! Você lê meus pensamentos!! Fê, você acha que servir só frisante junto ao jantar é suficiente? Vai ter coquetel de entrada, só isso de álcool é o bastante? Eu e meu noivo não bebemos bebida alcoólica mas queremos agradar aos convidados sem ter o risco de termos bêbados na festa…rs
    Me dá sua opinião por favor!!

    Obrigadaaaa

    bjss

    • Fernanda Floret, disse:

      Amanda, se você puder, troque o frisante por um espumante. Frisantes são vinhos de pior qualidade (aqueles que dão dor de cabeça, rs) comparando com espumantes. Temos ótimos espumantes no Brasil! Espumantes são bebidas coringas numa festa de casamento, podem ser servidos do começo ao fim. Beijos

  14. Fran Huesa, disse:

    adorei as dicas….

    bjuu

    respireecase.blogspot.com.br

  15. Elisa, disse:

    Fernanda, a regiao da Serra é linda! Pode ir, vou torcer pelo convite :) Nao esquece de provar suco de uva (amo!)

    Ano passado fomos na Casa Valduga (em Bento Goncalves) e a producao de espumante é de querer ficar morando no porao com as garrafas, tudo lindo, cheiroso e gostoso.
    O enólogo nos explicou que os colonos mandaram os filhos estudar vinho na europa e a geracao mais nova já teve oprtunidade de estudar nos cursos técnicos e faculdades sobre vinho e afins que abriram na regiao de 10 anos pra cá. Com a qualificacao da mao de obra, o vinho e, principalmente, o espumante gaúcho deram um salto de qualidade. Moro na regiao de vinhos da Alemanha (quase na fronteira com a Franca) e te digo que pro meu paladar leigo (mas experiente!) os espumantes gaúchos estao se comparando com os daqui.

  16. Alexandra Mezzacasa, disse:

    Fernanda, vou adorar te ajudar! Conte comigo para qualquer dúvida a respeito.
    E torço muito para que você receba o convite e venha para cá. :)
    Abraços!

  17. Lívia Lisbôa, disse:

    Fê: vá para Bento Gonçalves, com tempo para se hospedar na Vila Valduga. Quem fica lá ganha uma visita guiada pela vinícola e um curso super bacana! Fui ano passado e amei de paixão: conhecer os tipos de uva, nos vinhedos, os modos de produção e as sutilezas, na degustação. E, no Vale dos Vinhedos, um produtor está pertinho do outro, e dá pra conhecer as empresas grandes e as pequenininhas, familiares. Recomendo!

  18. Priscilla Barreto, disse:

    Gostei muito do post! Vão ter outros?? Posta mais!! :)

    Beijos!

  19. Vanessa Stefani, disse:

    Olá Fernanda! Sou enóloga e trabalho em uma vinícola no interior de Bento Gonçalves, quero te parabenizar pelas matérias sobre vinhos e pelos teus comentários, estão muito bem colocados, facilitando o entendimento e despertando interesse. Vou casar ano que vem e estou aproveitando todas as tuas dicas, parabéns, teu site é completo!!! Trabalho na área técnica da vinícola, mas vou encaminhar o assunto para o setor de marketing sobre o convite de vir para cá. Será um grande prazer te receber aqui. Beijo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>